Archive for the ‘Panorâmicas’ Category

Creio que para muitos uma foto panorâmica pode parecer algo complicado de se fazer. E em geral é, principalmente se estiver montando a imagem final a mão, pois muitas vezes é necessário girar a imagem em determinados ângulos, diminuíndo a largura do campo de visão.

Mas utilizando um software escrito especialmente para montar panorâmicas a partir de sequências de fotos, como o Panorama Maker – que veio junto com minha Lumix ZX1 da Panasonic – fica bem fácil criar este tipo de imagem, com vários ângulos de visão (120°, 180°, 270° etc) e também panorâmicas cilíndricas (360°).

O resultado final depende da quantidade de imagens-fonte que o programa dispõe para fazer a sobreposição e criar a imagem montada. Para se ter uma idéia, a partir de cinco fotos já é possível ter uma foto com aspecto de panorâmica, mas com ângulo reduzido. Já as fotos em 360° (panorâmicas cilíndricas), em geral utilizam de 18 a 30 imagens, dependendo do software utilizado.

Desta vez, como o assunto não é novidade, resolvi publicar o resultado somente em minha conta no Panoramio e as cilíndricas (com navegação 360°) também no Panoramic Earth. O resultado pode ser conferido abaixo. Espero que gostem.

Vista interna do Parque da Luz

Vista do campus do CTA/ITA em São José dos Campos

Vista panorâmica de aviões perto dos hangares e da torre de controle do Aeroporto de São José dos Campos (CTA/ITA)

Vistas panorâmicas de Santos a partir de Monte Serrat

Advertisements

Read Full Post »

De vez em quando surge uma tendência que vira febre. Há bem pouco tempo todo mundo estava fazendo cutout de cor no Photoshop; em seguida veio a mania do HDR que ainda persiste e agora parece que a bola da vez é fazer foto panorâmica, seja de paisagens, metrópoles ou lugares fechados.

Decidi aderir à onda e ver o que conseguia produzir com uma câmera compacta e uma SLR digital e confesso que me empolguei bastante. Obviamente, não fiz a montagem das sequências em modo manual pois seria por demais trabalhoso. Utilizei o Panorama Maker 4 que veio com minha Panasonic Lumix ZR1.

As fotos tiradas com a compacta têm pequenos problemas com o stitching – que é o processo de juntar as imagens mesclando-as para gerar a panorâmica – porque a lente Leica da ZR1 vai de grande angular/macro até meia-tele (equivalente a cerca de 200mm) num corpo compacto. Estas características causam distorção mais acentuada nas extremidades da imagem o que costuma dificultar o processo de geração de panorâmicas.

Panorâmica da Praça da Sé feita com a ZR1 da Panasonic

Já com a D90 da Nikon as panorâmicas parecem ficar mais naturais porque, embora mantenha a distorção dos objetos mais próximos à lente, a riqueza de detalhes permite ao software determinar o melhor modo de sobrepor as imagens durante o processo.

Vista panorâmica de São Paulo a partir do mirante do Ed. Copan com a D90

Algumas panorâmicas podem ficar realmente gigantes como esta abaixo que consegui fazer também do topo do Ed. Copan. A composição mesclou 12 fotos tiradas em modo paisagem, sem tripé. A média geral é de 5 a 9 fotos em modo paisagem ou 12 a 16 em modo retrato.

Grande vista panorâmica de São Paulo a partir do mirante do Ed. Copan

Também é possível combinar fotos para mostrar um local em 360°, como a imagem abaixo gerada a partir de 24 fotos em modo retrato, com iluminação artificial do próprio local e também sem tripé.

Capela e cripta no subsolo da Catedral da Sé com o Santo Sudário

Em formato plano esta imagem não impressiona muito, mas quando utilizado software de renderização especial, torna-se praticamente uma visita virtual ao local retratado. Veja no link abaixo a mesma imagem da cripta no que é chamado de panorâmica cilíndrica 360°.

Capela e Cripta da Sé em 360°

Read Full Post »

%d bloggers like this: